/ /

Otite em bebés e crianças

Otite

Otite

Devido ao facto do Dudu estar novamente com Otite e andarmos preocupados com a frequência das mesmas, andámos a investigar algumas coisas sobre as otites, que nos deixaram ainda mais preocupados.

A otite é uma inflamação do ouvido médio (espaço atrás do tímpano), muito frequente em crianças menores de 3 anos de idade.

No caso do Eduardo, o tratamento, com antibióticos e anti-inflamatórios, começa logo a fazer efeito e os sintomas diminuem imediatamente após as primeiras tomas, mas a verdade é que sabemos que em casos graves pode resultar na perda da capacidade auditiva e isso assusta-nos o suficiente para estarmos atentos aos primeiros sintomas e irmos a correr para as urgências.

Os sintomas mais normais são: febre, dor intensa, irritabilidade, perda de sono, perda de apetite, mexer na ou nas orelhas, vómitos, diarreias, mas muitas vezes não há sintomas e só quando o ouvido está muito afetado é que os pais dão por isso.

O passo seguinte é ir falar com a nossa pediatra para re-avaliar se a infeção ficou resolvida e saber como podemos prevenir que no próximo Inverno esta frequência se repita.

Imagem retirada do portal Blog Bebe.

Gostou deste artigo?

Subscreva o nosso Feed RSS, siga-nos no Twitter ou simplesmente recomende-nos aos seus amigos e colegas!

Posts relacionados:

  • Luis Carrondo

    A nossa experiência com otites não foi muito positiva e acabou com em cirurgia da pequena Inês. Após algumas otites consecutivas, resolvemos consultar um especialista de otorrinolaringologia. Após alguns exames, os resultados não podiam ser mais desanimadores: otite serosa (é caracterizada pela presença de secreção inflamatória (serosa) e manifesta-se por perda auditiva e otites agudas de repetição. Está relacionada à obstrução da tuba auditiva, podendo fazer parte do quadro clínico das alergias das vias aéreas superiores, aumento da adenóide e sinusites). Após alguns meses de tratamento e mais otites, a repetição dos exames trouxe-nos terríveis notícias: a otite serosa continuava e tinha inclusive piorado (perca de 40% de audição). Solução? A intervenção cirúrgica com a colocação dos tubinhos nos ouvidos, remoção dos adenóides e diminuição das amígdalas. Para os pais o pior dos pesadelos, para os míudos a melhor das soluções (após a operação a pequena Inês recuperou totalmente a audição e por conseguinte a sua qualidade de vida)! Um conselho a todos, se as otites começarem a ser repetitivas, consultem um especialista e previnam-se de situações futuras mais complicadas (p.e. perca irreversível de audição)